Pete Westbrook

27 de junho de 2000 Um inglês foi condenado a uma pena de prisão por cobrir carruagens de comboio com graffitis Um inglês de 25 foi condenado a 40 dias de prisão por ter coberto uma composição de comboio de uma empresa de caminhos de ferro local, a Danish Railways.(DSB) Terá ainda que pagar DKK 257.000 de compensação, e encontra-se impedido de entrar na Dinamarca por 3 anos. A razão para tão alto pedido de indemnização deve-se ao facto da DSB exigir agora o custo total da repintura da composição, em vez de apenas exigir os custos de limpeza como anteriormente. Esta pena é uma das mais duras alguma vez atribuídas a um grafista, mas Preben Kristensen, que lidera o departamento anti grafista da polícia de Copenhaga afirma: “seria muito ingénuo da nossa parte pensar que isto resolveria todo o problema, mas poderá fazer com que os vândalos pensem duas vezes antes de actuar.”.

Os peritos julgam que este inglês pertence ao grupo de grafistas de nome MOA (Monters off art), que são responsáveis pela maior parte das mensagens em graffiti ao redor da capital, e que trabalham muito de perto com um dos maiores grupos suecos de grafistas, VIM (vandals in Motion). O consultor de graffitis Lennart Faust afirma: “o facto de que o inglês se juntou a outros gangs na Escandinávia indica que isto é um tipo de crime internacional e altamente organizado. Prevejo que até ao fim do verão vários “convidados” estrangeiros viajaram até Copenhaga apenas para fazer graffitis, especialmente nos comboios da DSB.”. Os ataques de graffitis aos comboios subiram cerca de 40% desde o final de Abril. A DSB gasta entre 30 a 35 milhões de DKK anualmente em reparações de danos causados por vandalismo.